segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Forno Microondas

                Percy Spencer trabalhava na empresa Raytheon, onde fabricava magnetrons (O magnetron é constituído por um ânodo cilíndrico, composto de cavidades, estas encontram-se no eixo de um cátodo de aquecimento. É necessário saber que quanto mais cavidades mais elevado é o seu rendimento. O ânodo e o cátodo são separados por um espaço ao qual se dá o nome de espaço de interação, estando em vácuo. Estas cavidades, ditas "cavidades ressonantes", podem ter formas diferentes de acordo com o magnetron considerado. Encontram-se também dois ímans que são fixados perpendicularmente em relação ao eixo do tubo. Wikipedia) para aparelhos de radar. Percy estava em um dia normal de trabalho, dedicando-se a um aparelho de radar ativo quando percebeu que algo diferente havia acontecido. A barra de chocolate, que se encontrava em seu bolso, havia derretido. Spencer procurou uma explicação para isso e então colocou um grão de milho sob essas mesmas ondas, e em pouco tempo, obteve pipoca.
                As microondas agitaram as moléculas d’água contidas nos grãos de milho, chocaram-se umas com as outras e isso as aqueceu. Os primeiros fornos de microondas apareceram sendo muito caros e pouco práticos. A partir de 1970 apareceram modelos menores e mais facilmente manuseáveis.
                Percy Spencer continuou trabalhando na Raytheon até seu óbito, em 1976. Até a época de sua morte, registrou 150 patentes e foi e ainda é considerado um dos maiores peritos no campo da energia das microondas.

Bruna Henicka Pontin

Bibliografia:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário